COMO ERA A COMUNICAÇÃO EM MASSA ANTES DA INTERNET?

Antigamente os “líderes de estado”, “príncipes governantes” ou reis utilizavam dos meios de comunicação para se beneficiarem. Tinham os chamados jornalistas-escritores ao seu lado para descrever e reportar os acontecimentos da época, em que o principal meio de comunicação era um tipo de notícia manuscrita. No século XVI segundo Kunczik (2002), em Veneza saiu à primeira distribuição comercial e profissional de notícias para o público, na Alemanha em Nuremberg saiu o Nurnberger Nachrichten (Notícias de Nuremberg) e em Augsburgo, Figger publicou o Ordinari-Zeitungen, mas o primeiro jornal publicado diariamente segundo Kunczik (2002) foi Einkommende Zeitung de Leipizig (1650) e mesmo com as impressões do tipo móvel os jornais manuscritos não foram retirados imediatamente do mercado devido à vantagem de oferecer notícia exclusiva, rápida e confidencial, além de passar melhor pela censura.

                                                           Fonte: darkHunTer2009

Aos poucos os jornais foram se modificando, vieram as impressões que deram um boom no jornalismo e, ao longo do século XX, o ambiente político se modificou devido ao impacto criado pelo desenvolvimento contínuo dos meios de comunicação, com pessoas se comunicando com outras que estavam a milhares de quilômetros, os cidadãos interagindo com o meio politico, conhecimentos sendo transmitidos de forma rápida e atingindo uma quantidade numerosa de pessoas, o processo de governo se alterou. Segundo Miguel (2002), os novos meios exigiam novos tipos de políticos, que soubessem como utilizá-los. Cada um à sua maneira, Franklin Roosevelt, nos Estados Unidos, e Hitler, na Alemanha, tornaram-se símbolos da política da era do rádio. E o cinema que de forma politica diferente foi aproveitado em Hollywood e na UFA berlinense. No entanto, Miguel (2002) afirma que o meio dominante desde que surgiu e que parece não ser desafiado pelas novas tecnologias, é a televisão. Ela revolucionou nossa percepção do mundo, em especial do mundo social e, dentro dele, da atividade política.

Logo após a televisão veio os computadores e quase ao mesmo tempo com a tecnologia veio a Internet, que é a conexão de dois ou mais computadores em uma rede, Monteiro (2001) argumenta que a internet surgiu de uma rede idealizada em meados dos anos 60, como uma ferramenta de comunicação militar alternativa, que resistisse a um conflito nuclear mundial, e que aos poucos foi sendo utilizada por um grande número de usuários e a partir daí foi que a internet se transferiu para a administração de instituições não-governamentais, que se encarregam, entre outras coisas, de estabelecer padrões de infraestrutura e registrar domínios.

Após o surgimento da internet, o cientista inglês Tim Berners-Lee nos laboratórios do CERN (Conselho Europeu para Pesquisa Nuclear) na Suíça, a World Wide Web nasceu da necessidade de compartilhar dados entre os membros dos diversos projetos de pesquisa em andamento no CERN. Ela foi concebida como uma ferramenta de troca de informações mais amigável que as interfaces “somente-texto” então utilizadas. Baseado no conceito de hipertexto (que veremos adiante), Tim desenvolveu uma linguagem de programação (chamada HTML, ou HyperText Markup Language) que permitia ao usuário – utilizando um mouse e um software chamado “browser” (navegador), desenvolvido especialmente com esta finalidade – acessar diversas informações de modo não-linear, indo de um documento (fosse ele texto, imagem ou som) a outro através de ligações entre eles, mesmo que estivessem em computadores remotos. A primeira demonstração pública da WWW foi realizada em dezembro de 1990. Em maio de 1991 ela foi implementada nos computadores do CERN.

Segundo Monteiro (2001)
O surgimento da internet e da World Wide Web trouxe novos elementos para o cenário dos meios de comunicação, gerando possibilidades nunca antes imaginadas no sentido da democratização da informação. Ao mesmo tempo, as exigências para a sua utilização e a pouca abrangência desse novo meio de comunicação geram um novo problema: a exclusão digital.


Se você vivesse num mundo se minternet, como se comunicaria?

Fonte: akenoomokoto

Até mais...


REFERÊNCIAS:

KUNCZIK, Michael. Conceitos de Jornalismo: Norte e Sul: Manual de comunicação/Michael Kunczik; tradução Rafael Varela Jr. - 2.ed.- São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo. 2002
MIGUEL, Luis, F. Os Meios de Comunicação e a Prática Política; Lua Nova; 2002
MONTEIRO, Luís. A internet como meio de comunicação: possibilidades e limitações. INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares de Comunicação. XXIV Congresso Brasileiro de Comunicação – Campo Grande/MS, 2001.

Jake dos Santos

Instagram