REDE SOCIAL

Denim Jeans Social Media Icons by WebTreatsETC
fonte: WebTreatsETC


As redes sociais são aplicações que suportam um espaço comum de interesses, necessidades e metas semelhantes para a colaboração, a partilha de conhecimento, a interação e a comunicação (Pettenati et al., 2006, Brandtzaeg et al., 2007). Para as autoras Boyd e Ellison (2007), os sites de redes sociais são espaços on-line que permitem a seus usuários criar e exibir suas conexões, tendo como principal característica o fato de tornar públicas essas conexões. Redes sociais na Internet são constituídas de representações dos atores sociais e de suas conexões (Recuero, 2009). Na definição de Marteleto (2001, 71-81) “Rede social representa um conjunto de participantes autônomos, unindo ideias e recursos em torno de valores e interesses compartilhados.”.

Um dos principais diferenciais dos sites de rede social, para Recuero (2009), é que esses atuam de forma a manter as redes sociais permanentemente conectadas no ciberespaço, além de permitir que um número muito maior de conexões sociais possa ser estabelecido.

Em Ciências Sociais, rede seria o conjunto de relações sociais entre um conjunto de atores e também entre os próprios atores. Na definição de Colonomos (1995) designa ainda os movimentos pouco institucionalizados, reunindo indivíduos ou grupos numa associação cujos limites são variáveis e sujeitos a reinterpretações.

Para a Antropologia Social, como diz Barnes (1987, p.163) a noção de redes sociais busca apoiar "a análise e descrição daqueles processos sociais que envolvem conexões que transpassam os limites de grupos e categorias".

Tal como realçam MacLoughlin et al. (2007), as redes sociais são ambientes sociais e digitais, com conectividade e ubiquidade, baseadas na procura de aprendizagem, pelo que devemos ampliar a nossa visão de pedagogia para que os alunos sejam participantes ativos e coprodutores de conteúdos, de modo a que a aprendizagem seja um processo participativo, social, de apoio aos objetivos e necessidades individuais.

Para a autora Danah Boyd (2007) esses “espaços públicos mediados” possuem características especiais, a saber:
• Persistência: refere-se ao fato de aquilo que foi dito permanece no ciberespaço. Ou seja, as informações, uma vez publicadas, ficam no ciberespaço;
• Capacidade de Busca (searchability): refere-se à capacidade que esses espaços têm de permitir a busca e permitir que os atores sociais sejam rastreados, assim como outras informações;
• Replicação: aquilo que é publicado no espaço digital pode ser replicado a qualquer momento, por qualquer indivíduo. Isso implica também no fato de que essas informações são difíceis de ter sua autoria determinada;
• Audiências Invisíveis: nos públicos mediados, há a presença de audiências nem sempre visíveis através da participação. Há audiências que, inclusive, poderão aparecer após a publicação das conversações nesses grupos, por conta das características anteriores, que permitem que esses grupos deixem rastros que poderão ser encontrados depois.
De acordo com levantamento feito pelo site Alexa em 2014 as redes sociais mais acessadas no Brasil são: Facebook, Youtube, Twitter, LinkedIn e o Instagram.

E você, prefere qual rede social?



Até mais...

REFERÊNCIAS

BRANDTZAEG, Petter Bae & HEIM, Jan; Initial context, user and social requirements for the Citizen Media applications: Participation and motivations in off- and online communities. Citizen Media Project, 2007
PETTENATI, Maria Chiara & RANIERI, Maria; Informal learning theories and tools to support knowledge management in distributed CoPs. IN Innovative Approaches for Learning and Knowledge Sharing, EC-TEL. Workshop Proceeding, 2006
RECUERO, R. 2009. Redes Sociais na Internet. Sulina , Porto Alegre, 191 p.MARTELETO, R. M. Analise de redes sociais – aplicação nos estudos de transferência da informação. Ciência da Informação, 30 (1),  71-81, 2001
BOYD, D.; ELLISON, N. Social network sites: Definition, history, and scholarship. Journal of Computer-Mediated Communication, 13(1), 2007.
COLONOMOS, A. Emergence d'un objet et perspectives internacionalistes. In.: CHARILLON, F. et al. Sociologie des réseaux transnationaux. Paris: Editions L'Harmattan, 299p, 1995.
BARNES, J.A. Redes Sociais e Processo Político. In.: FELDEMAN-BIANCO, Bela (Org.). Antropologia das Sociedades Contemporâneas - Métodos. São Paulo: Global, 223p, 1987
BOYD, d. “Social Network Sites: Public, Private, or What?” In: Knowledge Tree 13, May, 2007. 

Jake dos Santos

Instagram