Tradições Juninas - Culturação


Seguindo com a proposta do Projeto Culturação, agora referindo-se as datas comemorativas de Junho (Dia 13/06 - Dia de Santo Antônio - Dia 24/06 - Dia de São João - Dia 29/06 - Dia de São Pedro -Pula a fogueira iá ia!), ou seja, Festas Juninas e Quermesses.

Esse já é o segundo mês que o blog Lado do Meio participa do Projeto Culturação, idealizado pela Monika Andreotti, do blog  Monikysses, e Carol dos Santos, do blog Diário de uma Livromaníaca, com o proposito de promover a interação de blogueiros na rede. Se você não viu as postagens anteriores clique aqui.



O Sul de Minas tem algumas tradições que ainda persistem apesar da modernidade e da globalizadão.  Itajubá é uma cidade universitária, então tudo o que se possa imaginar de data festiva vira uma baladinha. Isso inclui os arraiais de junho. Eu particularmente não gosto muito da versão universitária da Festa Junina, pois acho que perde-se com essa inovação muito da tradição das Festas Juninas - as fogueiras, as comidas típicas, quadrilha e aquelas brincadeiras que só tinha nas Quermesses de junho. Quando morava em São Paulo eu ia todos os anos à uma Quermesse que tinha tudo isso, era a tradição da minha família. A gente ia à missa e depois ficava na Quermesse comendo guloseimas e brincando nas barracas, tinha a Barraca da Boca do Palhaço, Das Argolas, Pescaria e muitas outras. Infelizmente essa tradição não resistiu aqui no Sul de Minas. 




Não vou falar de Quermesses neste post, mas vou falar de tradições juninas. O Sul de Minas é uma região onde a Fé ainda tem características tradicionais e as datas festivas da Igreja Católica são celebradas com os rituais passados pelas gerações. Um dos Feriados Santos do mês de Junho é o de Cospus Christi. Para quem não sabe, Cospus Christ é a celebração do Corpo e Sangue de Cristo, é considerada a festividade mais importante da Igreja Católica.


Tapete de Cospus Christi em frente a Igreja Matriz N. S. da Soledade em Itajubá - MG. Credito da Foto: JaKe dos Santos
A comemoração acontece sempre na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade, em recordação à Quinta-Feira Santa, que foi quando Jesus instituiu o Sacramento da Comunhão. Considerado um dia santo de guarda, na Solenidade de Corpus Christi, todos os católicos são convidados a participar da Missa.
A celebração de Corpus Christi começou, em 1243, em Liège, na Bélgica, no século XIII, quando a freira Juliana de Cornion teria tido uma visão de Cristo, demonstrando-lhe o desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque.
A Igreja Católica prepara um dia diferente para comemorar o Corpus Christi. Adoração ao Santíssimo, celebração da Missa e procissões, que recordam a caminhada do povo seguindo Jesus, compõem o dia festivo. Fonte: Canção Nova

Tapete de Cospus Christi no centro de Itajubá - MG. Credito da Foto: JaKe dos Santos
No dia 4 de junho a cidade de Itajubá se encheu de cores com o tapete feito para a procissão. E tem gente que sai de casa só pra ver a arte popular nas ruas da cidade. É uma tradição bonita e cheia de significados. Mesmo quem não compartilha da Fé Católica, por vezes admite que esta é uma tradição a ser mantida. Pois, além de embelezar a cidade por um dia, promove a interação da comunidade numa atividade sadia e criativa.


Tapete de Cospus Christi no centro de Itajubá - MG. Credito da Foto: JaKe dos Santos

Tirei mais fotos do que posso postar aqui, então quem se interessar em ver o álbum completo do tapete de Corpus Christi corre lá na Fanpage do Lado do Meio.

A segunda tradição que vou lhes contar é o Desfile de Cavaleiros, uma coisa que só conheci quando cheguei em Minas Gerais. O Sul de minas é uma região cheia de fazendas, sítios, chácaras e pequenas propriedades rurais. Muitas pessoas vivem da Indústria Primária, provendo o alimento de cada dia para todos nós. E essas pessoas, amantes da natureza e dos animais, têm suas tradições. O Desfile de Cavaleiros é uma dessas tradições, muitos desses cavaleiros vão à Santuários à cavalo para cumprir promessas ou pelo prazer de cavalgar longas distâncias, como se fazia antigamente.


Desfile de Cavaleiros, Charreteiros e Carros de Boi no Bairro dos Melos, Piranguçu - Mg. Créditos da Foto: JaKe dos Santos


Segundo o Portal Minas Gerais o Desfile de Cavaleiros e Amazonas teve início em meados dos anos 50, através do senhor Luis Dias Guimarães que realizava todo mês de maio um terço (festa seguidas de orações) em sua fazenda. Após as orações, seguiam em comitiva de cavalos até o Santuário para receberem a benção de Santa Rita de Cássia através das orações de Monsenhor Alderigi. Hoje, o evento recebe cada vez mais cavaleiros de toda região do sul de Minas e do Estado de São Paulo. (Portal Oficial de Turismo de Minas Gerais)

Desfile de Cavaleiros, Charreteiros e Carros de Boi no Bairro dos Melos, Piranguçu - Mg. Créditos da Foto: JaKe dos Santos
A cavalgada acontece todos os anos na cidade de Piranguçu - Mg, à dez minutos de Itajubá (onde eu moro) e segue numa procissão pela cidade culminando numa premiação com várias categorias. Há quatro anos o Desfile também é feito no Bairro dos Melos, Piranguçu onde eu estive no último dia 7 e vou mostra um pouco do que teve por lá. E teve bom... Veja mais fotos na Fanpage do Lado do Meio.

Estas são as festividades da cidade do Sul de Minas, especialmente de Itajubá. Não é bem uma Quermesse nas quais eu costumava ir em São Paulo, mas são eventos muito tradicionais que mostram a característica dessa região aconchegante entre as montanhas.

Até a próxima... ;)

Jake dos Santos

Instagram