Você sabe diferenciar os Gêneros Textuais? - Parte 1

Como todos sabem, antes de ser blogueira eu sou escritora. E vi muitas pessoas classificando textos de forma equivocada por aí. Para ajudar as pessoas a diferenciarem as tipologias textuais eu resolvi fazer esse post bem resumido, até porque não sou professora e nem tenho formação na área. Mas como escrevo muito, tenho a obrigação de saber essas coisas. Então vamos lá!



O Gênero textual é uma forma de classificar a mensagem de acordo com a situação em que está sendo empregada. Existem duas formas de classificar o gênero textual: o gênero literário e o tipo textual. Em uma pesquisa breve na internet encontrei essas duas definições:

Gênero Literário – nestes os textos abordados são apenas os literários, diferente do gênero textual, que abrange todo tipo de texto. O gênero literário é classificado de acordo com a sua forma, podendo ser do gênero líricos, dramático, épico, narrativo e etc. 
Tipo textual – este é a forma como o texto se apresenta, podendo ser classificado como narrativo, argumentativo, dissertativo, descritivo, informativo ou injuntivo. Cada uma dessas classificações varia de acordo como o texto se apresenta e com a finalidade para o qual foi escrito.
Fonte: Estudo Prático 

Entre os gêneros textuais temos:

Carta: quando  "carta aberta", tende a ser do tipo dissertativo-argumentativo com uma linguagem formal. Quando se trata de "carta pessoal", a presença de aspectos narrativos ou descritivos.

Propaganda: é um gênero textual dissertativo-expositivo onde há a o intuito de propagar informações sobre algo, buscando sempre atingir e influenciar o leitor.

Bula de remédio: é um gênero textual descritivo, dissertativo-expositivo que fornece as informações necessárias para o correto uso do medicamento.

Receita: é um gênero textual descritivo e injuntivo que tem por objetivo informar a fórmula para preparar tal comida.

Tutorial: é um gênero injuntivo que consiste num guia que tem por finalidade explicar ao leitor, passo a passo e de maneira simplificada, como fazer algo.

Editorial: é um gênero textual dissertativo-argumentativo que expressa o posicionamento da empresa sobre determinado assunto, sem a obrigação da presença da objetividade.

Notícia: podemos perfeitamente identificar características narrativas, o fato ocorrido que se deu em um determinado momento e em um determinado lugar, envolvendo determinadas personagens. 

Reportagem: é um gênero textual jornalístico de caráter dissertativo-expositivo. A reportagem tem, por objetivo, informar e levar os fatos ao leitor de uma maneira clara, com linguagem direta.

Entrevista: é um gênero textual fundamentalmente dialogal, representado pela conversação de duas ou mais pessoas, o entrevistador e o(s) entrevistado(s), para obter informações sobre ou do entrevistado, ou de algum outro assunto.

História em quadrinhos: é um gênero narrativo que consiste em enredos ilustrados contados em pequenos quadros através de diálogos diretos entre seus personagens, gerando uma espécie de conversação.

Charge: é um gênero textual narrativo onde se faz uma espécie de ilustração cômica, através de caricaturas, com o objetivo de realizar uma sátira, crítica ou comentário sobre algum acontecimento atual, em sua grande maioria.

Poema: trabalho elaborado e estruturado em versos. Além dos versos, pode ser estruturado em estrofes. Rimas e métrica também podem fazer parte de sua composição. Pode ou não ser poético. Dependendo de sua estrutura, pode receber classificações específicas, como haicai, soneto, epopeia, poema figurado, dramático, etc. Em geral, a presença de aspectos narrativos e descritivos são mais frequentes neste gênero.

Poesia: é o conteúdo capaz de transmitir emoções por meio de uma linguagem , ou seja, tudo o que toca e comove pode ser considerado como poético (até mesmo uma peça ou um filme podem ser assim considerados). Um subgênero é a prosa poética, marcada pela tipologia dialogal. 


Dentre todos esses gêneros a poesia é meu preferido, acho que ela nos permite traduzir os sentimentos e nos comunicar de uma forma mais profunda e significativa. Depois da poesia, também escrevo muitas cartas e, às vezes, alguns editoriais.

E vocês, qual dos gêneros acima está mais acostumado a escrever?




Jake dos Santos

Instagram