Você sabe diferenciar os Gêneros Textuais? - Parte 2

Essa é a segunda parte do post sobre os Gêneros textuais, mas nesta postagem vou falar do gênero narrativo e algumas de suas variante mais comuns.


Romance: é um texto completo, com tempo, espaço e personagens bem definidos e de caráter mais  verossímil.  Também conta as façanhas de um herói, mas principalmente uma história de amor vivida por ele e uma mulher, muitas vezes, “proibida” para ele. 

Quero fazer uma ressalva aqui para essa classificação que é muito frequentemente usada de forma errada. Um romance não é necessariamente uma história de amor, entre pessoas (homens e mulheres, homens e homens, mulheres e mulheres), geralmente é, mas há casos em que o romance relata uma jornada vivida pelo seu protagonista. Já li romances sobre empreendedorismo, onde o foco era a jornada empreendedora e não relacionamentos afetivos entre um determinado casal.

Novela: é um texto caracterizado por ser intermediário entre a longevidade do romance e a brevidade do conto. Como exemplos de novelas, podem ser citadas as obras O Alienista, de Machado de Assis, e A Metamorfose, de Kafka.

Conto: é um texto narrativo breve, e de ficção, geralmente em prosa, que conta situações rotineiras, anedotas e até folclores. Inicialmente, fazia parte da literatura oral.

Fábula: é um texto de caráter fantástico que busca ser inverossímil. As personagens principais são não humanos e a finalidade é transmitir alguma lição de moral.

Crônica: é uma narrativa informal, breve, ligada à vida cotidiana, com linguagem coloquial. Esse é o gênero mais presente na blogosfera.

Ensaio: é um texto literário breve, situado entre o poético e o didático, expondo ideias, críticas e reflexões morais e filosóficas a respeito de certo tema. É menos formal e mais flexível que o tratado. Consiste também na defesa de um ponto de vista pessoal e subjetivo sobre um tema.





Jake dos Santos

Instagram