Série Cartas - Destino: o fim

Bom como prometido eu vou falar mais um pouquinho do meu livro "Cartas". Meu motivo de orgulho mais recente deste ano. Aqui vou falar um pouco pra vocês de como escrevi esse livro e nessa série de posts vou expor um pouco de como foi esse processo.


Como eu escrevi o livro:

 Eu já tinha começado uma série de posts que se chamava Poesia de Segunda e já até tinha publicado um e-book com minhas poesias lá no Widbook chamado O Tempo. Isso foi foi lá no começo do ano - já faz um tempinho...

Mas como disse lá no post de janeiro, 2015 é o ano do ESCRITO E PUBLICADO, quase como uma profecia, nem imaginava que esse ano seria tão maravilhoso como tem sido para minhas poesias.

Depois da minha formatura no Curso de Administração, fiz uma vigem para litoral da Bahia. fiquei uma semana na praia, escrevendo, é claro.

Foi nesse período que escrevi o segundo capítulo do livro 'Cartas". Na ocasião, eu tinha a intenção de publicar somente esse capitulo, foi uma experiencia interessante escrevê-lo. Levei apenas cinco dias para escrever todas as poesias deste capítulo. Para conseguir esse feito, fiquei sem internet e isso ajuda muito, acredite em mim. Acabei descobrindo com isso que a internet é a pior aliada na hora de escrever.

Depois que voltei de viagem tentei manter a mesma rotina de escrita e foi bem difícil, os outros dois capítulos foram bem sofridos. Escrevi os dois últimos capítulos de forma complementar e sem a intenção, a principio, de incluí-los no livro. Paraa escrevê-los tive que desenvolver muito meu lado empático, pois são perspectivas muito diferentes da minha. Acabei gostando do resultado. É um exercício que recomendo.

O primeiro capítulo já estava pronto há anos e achei que era uma boa forma de começar o livro. Porque nele estão as poesias que escrevi por pura inspiração, sem compromisso algum e de uma forma bem orgânica. Os outros capítulos são o resultado de um exercício que deu muito certo. Mas é no primeiro que me apresento com meus pontos de vista e meus próprios sentimentos.

Destino: o fim


Já na primeira poesia faço uma reflexão de ago que incomoda muita gente: o fato de ninguém prestar atenção ao mundo real, às pessoas ao redor e a própria vida. Quantas vezes nós entramos em um ônibus ou metro e simplesmente nos somamos à uma massa anônima sem notar quem está a nossa volta. um aglomerado de estranhos juntos, mas cada um em seu mundinho. 




Semana que vem tem mais da Série Cartas, Vou falar de como enviei para a Editora e qual foi minha experiencia, então deixem suas dúvidas para que eu possa lhe ajudar a publicar seu livro também.
Até mais.

Jake dos Santos

Instagram