• JaKe

Finalistas do prêmio Livro-Reportagem Amazon



A Amazon é conhecida pelo comercio de livros, principalmente os livros digitais. Mas também por promover concursos culturais para premiar os melhores livros da plataforma. o que gera engajamento no site e possíveis vendas. Essa é uma estratégia que ajuda a promover autores, livros e, claro, a própria plataforma.

Essa semana eles divulgaram os finalistas do Prêmio Livro-Reportagem Amazon. O prêmio é uma iniciativa da Amazon.com.br, Jornalistas & Cia e Editora Record para reconhecer o melhor livro reportagem publicado na plataforma Kindle Direct Publishing (KDP).O vencedor receberá um prêmio de R$ 10.000,00 e a oportunidade de ter a versão impressa do livro publicada pela Editora Record.

Foram anunciados quatro finalistas:


Campeões da Raça: Os Heróis Negros da Copa de 1958 do autor Fabio Mendes


Em 1958, o Brasil conquistou pela primeira vez a Copa do Mundo, revelando uma geração de jogadores excepcionais como Pelé, Garrincha, Didi e Djalma Santos. No entanto, para chegar à glória, esses jogadores tiveram de enfrentar não apenas as adversidades comuns ao esporte, mas também o intenso preconceito racial que vigorava no futebol brasileiro de então. "Campeões da Raça" traz detalhes dessa história. O livro é um documento fundamental para entender o Brasil e o futebol.




Jornal da Tarde: Uma Ousadia que Reinventou a Imprensa Brasileira do autor Ferdinando Casagrande


Final dos anos 1960. O mundo se transformava em alta velocidade. Revoluções políticas questionavam os governos, revoltas estudantis derrotavam os costumes, a juventude se insurgia contra as tradições - queria mudar o mundo, ter direito sobre o próprio corpo, determinar o curso do destino. Liberdade, a palavra de ordem, ganhava novos significados. Todas essas mudanças eram retratadas de maneira singular por um jornal paulistano nascido no ventre de uma das empresas jornalísticas mais tradicionais do Brasil. Feito por talentosos jovens na casa dos 20 e poucos anos, o Jornal da Tarde rompia com todos os conceitos do que se conhecia por jornal. Foi uma ousadia - e a imprensa brasileira nunca mais seria a mesma. Neste livro, o jornalista Ferdinando Casagrande resgata a história da publicação que encantou pelo menos duas gerações de leitores antes de ser encerrada, em 2012, mais uma vítima da crise global que atinge os jornais e revistas impressos em plena era digital.




O Infiltrado: Um repórter dentro da polícia que mais mata e mais morre no Brasil do autor Raphael Gomide


O premiado repórter Raphael Gomide foi recruta por um mês na PM do Rio de Janeiro para entender por que é a polícia que mais mata e mais morre no Brasil. O resultado desse trabalho investigativo de fôlego é este corajoso livro-reportagem. O autor fez um mergulho no coração da PM, o Curso de Formação de Soldados, para descobrir como pensam os policiais do Rio.

Descobriu que a violência é naturalizada no discurso dos policiais e dos alunos. No treinamento, ouviu instrutores ensinarem a forjar cena de crime para alegar legítima defesa. O livro revela também que os PMs do Rio vivem com medo e em uma relação de ressentimento com a sociedade, que acreditam não reconhecer sua dedicação.

A reportagem que deu origem ao livro foi publicada em 7 páginas na Folha de S.Paulo e recebeu o Grande Prêmio Lorenzo Natali da União Europeia, o 1º lugar na América Latina e Caribe do Prêmio Lorenzo Natali e o 2º lugar no Prêmio Anistia International de Imprensa - Reino Unido. Uma versão da matéria foi impressa em 12 idiomas no Le Monde Diplomatique. 

Raphael Gomide foi repórter por 17 anos na Folha de S.Paulo, revista Época, O Estado de S.Paulo, DIA e Portal iG, entre outros veículos. Foi enviado especial à Faixa de Gaza (2009), ao Egito na Primavera Árabe (2011) e ao Haiti (2007), durante a Missão da Paz da ONU. Recebeu inúmeros prêmios nacionais e internacionais, como o Prêmio Mundial de Direitos Humanos da Anistia Internacional, o Prêmio Embratel de Reportagem, Prêmio Folha de Reportagem, entre outros. 

Atualmente é sócio-diretor da agência Corcovado Comunicação Estratégica.




O Mário do rádio da autora Tatiana Lanzeloti


Mário Lago foi um dos maiores artistas brasileiros do século 20. Figurou em novelas e filmes, escreveu clássicos de nossas músicas e militou como poucos na política, sempre defendendo a liberdade. 

Mas sua trajetória no rádio ainda é pouco conhecida. Mário começou como radioator, depois escreveu, dirigiu e produziu para as grandes emissoras da era de ouro do rádio brasileiro. Era um profissional respeitado e querido, que deixou sua marca inclusive na luta pelo reconhecimento da profissão dos radialistas. Essa e muitas outras histórias desse artista genial são contadas no livro O Mário do Rádio.